quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Portas

Entre as noites, açoites ocorrem.
Pisoteiam corações.
Enquanto o amor sussurra.
Em busca de uma chance.
Querendo se despir de tudo que não o complete.
Mal sabe ele que nunca nos completaremos.
Pessoas vêm e vão.
E levam consigo as chaves das portas que fecham.

domingo, 4 de setembro de 2016

Um mar

A vida é um mar.
Muitas vezes você não vê terra.
Nem tampouco o céu.
Você sabe, outrossim, que deve continuar navegando.
Porque precisa chegar em algum lugar.
Não parar no meio do oceano.
Você tem que encontrar alguém para ouvir suas histórias.
Sentir suas memórias.
Caso contrário, não teria graça escrever os dias.
Nem teria significado o sol amanhecer, para nos livrar da noite.
Por isso, hei de velejar.
Porque o tempo passa.
E se eu não aproveitar eu perco os bons ventos.

domingo, 28 de agosto de 2016

Ausência

Ausência.
Uma palavra cheia de nadas.
Ausência.
Nessa hora lembramos das histórias.
Ficamos com as memórias que nos foram contadas.
Ausência.
Embalada com lágrimas enquanto se navega em um mar revolto.
Ausência.
Três pontos.
É quase como a luz que se apaga.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Nu

Emudeci.
Busquei razão.
Uma porta fechada.
Solidão.

Não há luz na rua.
A esperança parece louca,
pois está andando perdida e nua,
questionando onde estão todos os planos.

Talvez tenham sido enganos.
Coração, de novo leviano.
Assombrado pelo próprio medo.
Quiçá agora passem anos,
ou a próxima porta esteja na esquina.

Eu bem queria uma menina para repousar minha cabeça e esquecer do mundo.
Mas eu não sou de querer mais.
Não me compete.
Eu vou vivendo,
construindo meu caminho na hora que passo,
porque cansei de esperar.


quarta-feira, 27 de julho de 2016

Pulo

Eu pulei.
Cruzei o infinito.
Saltei penhascos.
Voei como andorinha em busca do sol.
E assim tenho feito.
Para fugir do tempo.
E encontrar a nuvem que devo deitar.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Sorrir

De todas as esperas, seu beijo foi a melhor delas.
Enquanto o oceano de emoções nos desencontravam.
Eu navegava, mesmo sem saber se ia chegar.
Naveguei tanto.
Acordei e dormi.
Senti uns severos espantos.
E até fingi não haver pranto, pondo na minha face uma máscara,
que você quebrou ao me fazer sorrir.

Algoz

Se a angústia fosse ostentação.
Eu estaria nadando agora em mais de um milhão.
Porque as horas não passam com silêncio.
Porque a mente não descansa sem luz.
Não aquela externa.
Falo daquela que mora dentro de nós.
Não quero ser aquele que apagou a vela.
Deixando no escuro a esperança.
Vivendo com alcunha de algoz.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Abril

Eu não a procurei.
A encontrei em Abril.
Em meio às nuvens de um certo luar.

Eu não contava as horas.
Passei a contar.
Passei a esperar seu beijo.
Desejo incontável.
Vontade de amar.

Foi você que deu luz para um coração moribundo.
Que achava que ia morrer andando como um vagabundo,
sem casa para descansar.

Sair

Sair nada mais é que chegar em outro lugar. 
Quando você sai, 
abre uma porta deixando o lugar antigo, 
para pousar os olhos em um mundo novo.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Foi você

Você.
Foi isso que foi.
É isso que está sendo.
Não sei que mágica tem em seus olhos.
Não sei que doce guarda no seu beijo.
Sei que a desejo.
Paro e penso.
Quero só um tempo passado ao seu lado.
Quero você e eu.
Mãos dadas.
E um caminho florido a seguir.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Giz

Bailei. E em tantas danças eu a encontrei. Andando cabisbaixa pelo salão.
Trazendo em seu peito solidão. Rezando por um coração que abraçasse o seu. Insinuei pegar sua mão.
Zelo que quero ter.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Pai

Pai. Não precisei ficar um oceano distante para reconhecer. Dos meus atos, inspiro-me em você. Eu sei, não consigo fazer com a mesma perfeição, Pai, Você tem lutas diárias, assim como eu. Preocupa-se, mas mantém um sorriso no rosto. Tem dentro de ti uma criança que não se perdeu. Torço muito, meu nobre pai, para construir-me com seus alicerces. Para caminhar bravamente como você. Torço, pai, para envelhecer como você. Um herói altivo que mora na minha realidade e nos meus sonhos. Uma mente recheada de luz.