segunda-feira, 18 de abril de 2011

Desafiante

Eu fui o cavaleiro que desafiou a morte. E venci, pois continuo vivo. Amanhã não tenho a plena certeza que completarei novamente meu intento, mas agora já me satisfaço em saber que pude sorrir na face da escuridão.

Um comentário:

  1. E esse cavaleiro não desmaia e nem se apaga pelos caminhos do vento.

    ResponderExcluir