domingo, 17 de novembro de 2013

O balanço

Eu fico no meu balanço,
enquanto o mundo vai para frente e para trás.
Me despreocupo se vem torrente ou um sol de beleza tenaz.
Ah, bela infância!
Não entendo porque me deixou.
Do meu lado restou a imaginação,
ainda que viva nesse mundo de responsabilidades.
Por isso, tenha a hombridade de pelo menos visitar meus sonhos.

Um comentário: