quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Amanheceu

O sangue volta a percorrer meu corpo.
Não devo estar mais morto,
pois o branco da nuvem deixou de carregar o plúmbeo pesar.
Amanhã não terá chuva ácida para corroer meus ossos.
E eu muito bem poderei sonhar e voar.
Porque o abismo ilusório obliterou.
Restou-me o ar.

3 comentários:

  1. E com o ar se poderá voar por onde os sonhos nos levam.
    Lisboa, 23/09/2010

    ResponderExcluir
  2. Me pareceu as palavras de um doente falecido que acaba de acordar do no outro plano.

    Daniel

    ResponderExcluir