terça-feira, 30 de novembro de 2010

Baila rina

Se me perguntam da bailarina,
eu digo que ela dança.
Mesmo sem rima.
Os deuses aplaudem lá de cima.
E as nuvens fazem chover flocos de neve.
Ah, assistir a bailarina faz a gente pensar que a vida não é tão breve.
Que o vento a leve para florescer outros cantões.

4 comentários:

  1. Ela é leve e quando dança, sempre encanta.

    E teu poema é como um floco de neve.

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Tudo o que vem do coração é eterno. Sempre estarem fazendo em algum lugar do planeta.

    Daniel

    ResponderExcluir
  3. Parece que suas palavras dançam...

    leve.

    ResponderExcluir