domingo, 7 de novembro de 2010

Pa lhaço

Eu ouvi muitos risos.
Vi meu reflexo nas bolhas de sabão que pairavam no ar.
Toquei meu violão sem cordas,
mas isso não impediu a dança.
Não, não sou um palhaço que cansa.
Tenho histórias e um avião.
Até ensaiei uma canção,
que no fim virou poesia.
Um misto de realidade e fantasia.
Um dia perfeito.
Nuvens de algodão.

7 comentários:

  1. Hoje, desarmei a lona. Expandi a circunferência do picadeiro.

    ResponderExcluir
  2. eu sempre gostei de palhaços e de nuvens. e gosto daqui, mas isso tu já sabe :)

    beijo.

    ResponderExcluir
  3. Essas nuvens ainda carregam o mesmo desenho de um sorriso.


    beijo

    ResponderExcluir
  4. Márcio!

    Um poema ou um canto perfeito!

    Com ou sem nuvens!


    Beijos, poeta!

    Mirze

    ResponderExcluir
  5. Palhaço me trás um sorriso pra eu colar no rosto. Preciso me alegrar...

    ResponderExcluir