terça-feira, 9 de novembro de 2010

Tolo

Eu disparo flechas ao léu.
Sou arqueiro cruel.
Martirizo o vento.
Miro em qualquer sentimento que queira virar desilusão.
Eu sei que um dia o arco quebrará.
Do alto da montanha, ficarei apenas a observar.
Velho e macambúzio.
Pelo menos não acerto minhas previsões.

3 comentários:

  1. Se a desilusão vive a nos espreitar que façamos um suicídio coletivo.

    Abs meu caro e estou de volta!

    ResponderExcluir
  2. Márcio!

    Continue disparando, porque são certeiras, suas flechas!

    MUITO BOM!

    Abração!

    Mirze

    ResponderExcluir