sexta-feira, 7 de agosto de 2009

À bela solitária

Não canso de observar seu sorriso amarelo, envolto na escuridão imperscrutável.
Me inspira.
Me faz suspirar.
Para mim, você é contínuo mistério, muito embora não tenha olhar.
Mesmo se o vento teimar em empurrar uma nuvem para não a deixar brilhar, fico no aguardo, esperando o bom senso de alguém para a descortinar.
O interregno desse tempo é tenso.
Súplica, para que a deixem ao palco voltar.
Onde é princesa, dama, rainha, cujo o rei maior não consegue encontrar.

13 comentários:

  1. aaaaaaaa .... que bonito isso !!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado. :)
    Um beijo.
    E volte sempre. :D

    ResponderExcluir
  3. Lindíssimo !!

    Nada como nossa visão especial e única sobre o objeto de nosso afeto !!

    parabéns.
    mais uma vez, ótimo !

    ResponderExcluir
  4. Tomara que descubram a charada hehe.
    Um beijo e obrigado, Yasmin.

    ResponderExcluir
  5. Me identifiquei c esse texto TOTAL!!! Sorte da sua "bela solitária"... Queria eu...

    ResponderExcluir
  6. Lembra a lua cheia, Márcio Vandré.

    Toda lindona, imponente e companheira

    iê iê beleza!

    ResponderExcluir
  7. Ps. Suas mais recentes postagens são de beleza surpreendente.

    ResponderExcluir
  8. Gabi...
    Meu muito obrigado pela visita e pelo comentário.
    Será que a bela tem sorte mesmo? :)
    Um beijo!

    Narinha!
    Você é esperta! Hehe. :)
    E obrigado pelo elogio.
    Sabe que a sua palavra pesa muito.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  9. Nossa, maravilhoso!
    Seus textos são lindos!

    Beijos,
    ;*

    ResponderExcluir
  10. Milena, meu muito obrigado.
    Um prazer ter você nos comentários.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. "...Ela (Lua) brilha querendo ser o sol.
    E busca-o.
    É uma história de amor triste.
    Nunca trocarão olhares.
    Só, na distância infinita do universo poderão vislumbrar a sombra de um ou outro."

    Esse texto parece ter sido criado em total concordância com o comentário que me deixaste outro dia, não é?
    Agora, o que mais me chama atenção é forma com que escreves, onde ao falar da lua, transforma-a em charada e ao mesmo tempo poesia, e das mais adornadas!

    Parabéns, Márcio, é por isso que sempre volto!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. Sim, Marília, fiquei com isso na cabeça.
    E na sexta, ela estava muito imponente.
    Daí surgiu algo na mente e escrevi sobre ela.

    Ademais, só tenho a agradecer o elogio e deixar bem claro que a responsabilidade aumenta.
    Um beijo e obrigado!

    Patrícia!
    De tudo na vida se extrai poesia.
    :)
    Um beijo!

    ResponderExcluir