sábado, 31 de julho de 2010

Clemente

Porque minha caneta no papel condena.
Eu sou um ser da arte que envenena.
Eu sou o mito e o monstro.
Poeta que não se apequena.
Embora pequenos sejam os caminhos.
(QUE SE TORNEM LARGOS!)
Que se façam lagos para minha amada se banhar ao anoitecer.

2 comentários:

  1. Ritmo e significado claros.

    ResponderExcluir
  2. Gosto dos lagos que refletem a lua em todas as fases.

    =)

    ResponderExcluir