sábado, 7 de agosto de 2010

Erebus

Lá se vão meus sonhos naquele barco.
Eu escolhi a terra.
A prostração e a névoa.
A água não tem mais reflexo.
Empoeiram-se memórias.
As glórias aqui neste pedaço de solo de nada servem.


4 comentários:

  1. Empoeiram-se as memórias. Puta que pariu. Fim.

    ResponderExcluir
  2. "Descubridor dos sete mares, navegar eu quero."

    Obrigado pelas palavras no minhavozmeucaminho, Vandré.
    "... presença do porvir.
    Depois o nada."

    Isso é profundo. Chega de futuro, pode ser nada mesmo. Vivamos o agora e gozemos.
    Abraços.

    ResponderExcluir