sexta-feira, 18 de junho de 2010

Ao luto

Hoje o dia apareceu,
mas o silêncio reinou nas palavras.
O azul tornou-se cinza.

Quem dera a morte tivesse apresentado intermitências,
nobre mestre.
Temos, entretanto, um ponto final nesta tua história.

Frases restarão na memória.
Lutas continuarão.
Empurradas pela tua sonora ventania.

Um comentário:

  1. Bonita homenagem, belos versos, singelos como vc.

    Beijo.

    ResponderExcluir